UAN na pandemia

No dia 13 de maio realizamos a live no Instagram intitulada “O que irá ocorrer com a gestão de UAN após a crise?” com a professora e nutricionista Fernanda Flores. Aqui você irá encontrar um resumo ampliado do conteúdo publicado na nossa página no Instagram.

Com a pandemia pela COVID-19 em andamento muitos estabelecimentos estão precisando se adaptar à nova realidade e isso não é diferente para as unidades de alimentação e nutrição (UAN).

Com a redução no movimento de pessoas em todos os setores da sociedade, as UANs sentiram o impacto na diminuição do número de refeições e, como consequência, houve redução no número de funcionários ou estão tendo que se adaptar a novas rotinas e funções.

O profissional nutricionista é muito importante para a gestão dessas unidades neste momento. É preciso acompanhar os colaboradores e verificar se as práticas aplicadas de distanciamento estão sendo cumprida – é necessária uma distância de um metro entre os colaboradores –, uma maior atenção com a saúde e segurança do trabalhador e avaliar a necessidade da divisão de turnos – para a diminuição do contato. Quando o distanciamento mínimo não pode ser realizado, deve-se reforçar as práticas de higiene.

Com a redução do quadro de colaboradores e necessidade da redução de custo, é necessário equipar as cozinhas com equipamentos mais modernos. Existem equipamentos muito eficientes que auxiliam na produtividade das UANs.

Além disto, é preciso que os cuidados com as boas práticas de fabricação de alimentos sejam redobrados, o que inclui uma maior higienização e desinfecção do ambiente, utensílios, higiene pessoal e alimentos.

Ainda, é preciso realizar um controle maior de todos os processos relacionados à produção dos alimentos. É preciso estar atento desde o recebimento das mercadorias até o recolhimento após a distribuição. Como exemplos a Nutricionista Fernanda trouxe:

• Cuidados maiores no recebimento das mercadorias, higienização e desinfecção no ato do recebimento e armazenamento;
• Higienização e troca de utensílios com maior frequência nas áreas de distribuição e salão de refeições;
• Exigência do protetor de saliva ou possuir colaboradores servindo todas as preparações para os clientes;
• Utilizar os talheres embalados ou, então, descartáveis;
• Saladas e sobremesas serem distribuídas em embalagens como no serviço grab and go e no serviço take away. Estes tipos de serviço vêm crescendo no mercado;
• Temperos e condimentos em saches para minimizar o contato;
• Higienização de mesas, cadeiras e jogos americanos após cada refeição.

O nutricionista deve utilizar as ferramentas disponíveis da qualidade para encontrar os problemas e buscar as melhores soluções. Este é, também, um momento de oportunidade profissional para os nutricionistas trabalharem em consultorias nos restaurantes comerciais, visto que muitos locais irão precisar de auxílio nesta nova realidade. Vale lembrar, também, que os consumidores também estão mais conscientes e irão cobrar dos estabelecimentos novas práticas.

Se você quiser saber mais sobre o assunto venha conhecer a nossa Pós-Graduação em Gestão de Unidades de Alimentação e Nutrição.