Nutrição no combate à depressão e ansiedade

Todo mundo já ouviu falar sobre depressão em algum momento, principalmente com o aumento do espaço de fala sobre problemas psicológicos. Isso acontece pelo aumento da prevalência que chega em 15,5% no Brasil e parece estar mais presente em mulheres.


Essa doença é caracterizada por tristeza persistente e pela perda de interesse em atividades que normalmente são prazerosas, acompanhadas da incapacidade de realizar atividades diárias, durante pelo menos duas semanas. As causas para o seu surgimento podem ser de origem genética, bioquímica cerebral ou eventos vitais, e entre seus fatores de risco estão histórico familiar, estresse e ansiedade crônica, doenças cardiovasculares, hormonais e outras.


As pessoas diagnosticadas com depressão costumam apresentar mais de um sintoma: perda de energia, mudanças no apetite, aumento ou redução do sono, ansiedade, perda de concentração, indecisão, inquietude, sensação de que não valem nada, culpa ou desesperança e pensamentos de suicídio ou de causar danos a si mesmas. O tratamento é feito é feito através da psicoterapia ou com medicamentos antidepressivos ou através da associação de ambos.


Um dos pontos que vem sendo cada vez mais estudado é a associação entre a nutrição e os transtornos psicológicos. Esse novo campo vem mostrando que a qualidade da dieta pode ser um fator modificável, mostrando que um padrão de dieta saudável reduz o risco de depressão.


O padrão de dieta saudável mencionado aqui diz respeito ao consumo de vegetais, frutas, grãos integrais, nozes, sementes, peixe e uma quantidade pequena de alimentos processados. Acredita-se que a explicação para isso seja a grande quantidade de oxidantes encontrados naturalmente em frutas e hortaliças.


Em contrapartida, o consumo de muitos alimentos processados, ricos em gordura e açúcar, durante a adolescência e a idade adulta estão associadas positivamente ao desenvolvimento de ansiedade e depressão.

Se você quiser saber mais sobre o assunto venha conhecer a nossa Pós-Graduação em Nutrição Clínica em Patologias.


Referências:

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAðDE. . Depressão: causas, sintomas, tratamentos, diagnóstico e prevenção. Disponível em: https://saude.gov.br/saude-de-a-z/depressao. Acesso em: 12 jun. 2020.
BRASIL. ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE SAðDE (OPAS). . Depressão: o que você precisa saber. 2016-2017. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5372:depressao-o-que-voce-precisa-saber&Itemid=822#:~:text=A%20depress%C3%A3o%20%C3%A9%20um%20transtorno,durante%20pelo%20menos%20duas%20semanas.. Acesso em: 12 jun. 2020.

MARX, Wolfgang et al. Nutritional psychiatry: the present state of the evidence. Proceedings of the Nutrition Society, v. 76, n. 4, p. 427-436, 2017.