Nutrição e o Tratamento da Acne

Muito escutamos para não comer chocolate, pois ele vai causar o aparecimento de espinhas. Mas o que realmente sabemos sobre a acne?

A acne é uma dermatite multifatorial. É mais comum países desenvolvidos do que em regiões menos industrializadas e áreas rurais.

Hoje sabemos que alguns fatores causam a acne, como o aumento da produção de sebo, liberação de mediadores inflamatórios na pele, hiperqueratose (espessamento da camada mais superficial da epiderme) e a colonização por Propionibacterium acnes anaeróbica. Outros fatores que contribuem são: psicológicos, predisposição genética, distúrbios hormonais, imunológicos e a alimentação.

Leites e derivados - o surgimento de acne parece estar relacionado ao consumo de leite, principalmente da sua forma desnatada. Acredita-se que isso acontece durante a produção do leite, onde ocorreria uma modificação na bioatividade das moléculas, além de acreditar-se que o equilíbrio hormonal esteja prejudicado nesta forma do leite. Além disso, existe evidência de correlação positiva entre acne e o consumo de produtos instantâneos de café da manhã e queijo cottage.

Chocolate - ainda não existe evidências definitivas de que o consumo de chocolate agrava as lesões das acnes.

Índice glicêmico - acredita-se que a carga glicêmica (CG) e o índice glicêmico (IG) da dieta tenham participação na patogenicidade da acne. Dietas baseadas em alimentos com alto IG causam hiperinsulinemia, estimulando a maior produção de sebo (papel fundamental na acne).

Fibras - não se sabe exatamente como as fibras atuam no curso da acne. Contudo, sabe-se que o consumo de quantidades adequadas de fibras e uma dieta de baixa CG melhoram as condições da pele que já possui acne.

Ácidos graxos - a razão de ômega-6 para ômega-3 é um dos fatores que modulam o mecanismo da inflamação. O ômega-3 tem a capacidade de diminuir os níveis de IGF-1, o que sugere que tenha um efeito benéfico no tratamento da acne.

Antioxidantes - já foi falado sobre os efeitos do estresse oxidativo no surgimento de acne e do uso de drogas com efeitos antioxidantes ou suplementes com oxidantes possam ser úteis no tratamento da acne. Um estudo mostrou a possibilidade da suplementação de selênio seja boa para o tratamento, enquanto que outro mostrou a eficácia da suplementação de selênio e vitamina E.

Zinco - o zinco é essencial para o desenvolvimento e funcionamento da pele. Ele é considerado um bacteriostático contra a acne, ou seja, impede a sua proliferação. Além disso, reduz a produção de citocinas pró-inflamatórias – fator de necrose tumoral α (TNF- α). Já foi mostrado que muitos pacientes com acne são deficientes de zinco e que a sua suplementação apresentou melhora do quadro, porém é preciso ter cuidado com essa suplementação devido aos seus efeitos colaterais.

Vitamina A - Existe evidência de que a suplementação dessa vitamina é efetiva no tratamento da acne.

A alimentação apresenta impacto no desenvolvimento ou não de acne. Contudo, as relações não são bem definidas e é necessário olhar cada caso individualmente. Se você acha que determinado alimento aumenta a acne é recomendável que você evite-o ou consuma de maneira limitada.

Quer estudar mais sobre Nutrição e Estética? A Faculdade iPGS é o lugar certo para você! Oferecemos um curso de pós-graduação inteiramente dedicado à Nutrição Clínica e Estética. Ainda, há opções mais rápidas e específicas de aprendizado, possibilitadas pelos Cursos Livres em Suplementos nos Tratamentos Estéticos, Envelhecimento Saudável, Nutrição Avançada no Combate à Celulite, Suplementos para Pele, Cabelos e Unhas e Suplementação Nutricional em Estética

KUCHARSKA, Alicja; SZMURłO, Agnieszka; SIńSKA, Beata. Significance of diet in treated and untreated acne vulgaris. Advances In Dermatology And Allergology, [s.l.], v. 2, p. 81-86, 2016. Termedia Sp. z.o.o.. http://dx.doi.org/10.5114/ada.2016.59146.