Intolerância Alimentar e Alergia na Infância

As reações adversas a alimentos podem ser classificadas de duas maneiras: as imunológicas e as não-imunológicas. Você sabe a diferença entre elas?

As imunológicas, ou imuno-mediadas, são as alergias e hipersensibilidades alimentares, problema cada vez mais comum na infância, especialmente no 2º e 3º ano de vida. Já as não-imunológicas (não imuno-mediadas) são as intolerâncias alimentares. São diversos os fatores que influenciam no desenvolvimentos das alergias e intolerâncias: genética, estilo de vida, exposição antigênica pregressa, disbiose são alguns deles. As crianças com alergia alimentar podem apresentar deficiências nutricionais (resultando em menor crescimento), além de prejudicar no emocional, social, psicológico e capacidade física da criança.

A alergia alimentar nada mais é do que uma resposta imune específica que acontece em resposta à exposição a um ou mais alimentos. Os alérgenos alimentares são componentes específicos do alimento ou de algum ingrediente do alimento, geralmente proteínas, que são reconhecidos pelo sistema imune. Após serem reconhecidas, as reações imunológicas específicas começam, resultando nos sintomas que atingem principalmente os tratos digestivo, respiratório e tegumentar. Os alimentos que são frequentemente relatados como causadores de alergias são o leite, ovos, amendoim, castanhas, peixe e soja. Como exemplos de sintomas temos urticária; dermatite atópica; edema e prurido de lábios, língua ou palato; vômitos; diarreia; broncoespasmo; asma; anafilaxia e choque anafilático. A terapêutica é a exclusão do alérgeno e uso de medicação de emergência, caso ocorra uma reação alérgica acidental.

As intolerâncias alimentares são reações não imunológicas onde não acontece direito a absorção dos hidratos de carbono. Os sintomas que aparecem são muito variáveis, entre eles estão: dor e distensão abdominal, diarreia, constipação, cefaleia, eczema, urticária, fadiga, dor muscular, dificuldade de concentração, ansiedade ou depressão, entre outros. Algumas das intolerâncias mais conhecidas são as intolerâncias ao glúten e à lactose.

Para saber mais sobre o tratamento e manejo das alergias e intolerâncias alimentares no público infantil e adolescente venha conhecer nossa Pós-Graduação em Nutrição em Pediatria!


Referências:
DIAS, Sara Gonçalves Sousa. A alergia alimentar e o impacto na criança e na família. 2016. Dissertação de Mestrado.
MARQUES, Eduardo Saltão Silva et al. RELATO DE CASO: ALERGIA ALIMENTAR GRAVE ASSOCIADA A OUTRAS REAÇÕES IMUNOLÓGICAS. CIPEEX, v. 1, 2015.