A Crononutrição no estudo da Nutrigenômica

A nutrigenômica é a ciência que estuda a interação entre os nutrientes e os genes humanos. Isso significa que ela estuda como as necessidades nutricionais e o metabolismo dos nutrientes é influenciado pelo DNA e pelo código genético de cada indivíduo. Um dos fatores que influencia o estudo da nutrigenômica, claro, é a alimentação. Mas não é só a qualidade ou a quantidade do que a gente come que influencia nossa atividade metabólica, mas também os horários e a frequência com a qual nos alimentamos. Por isso, para aprofundar o conhecimento em nutrigenômica e modulação intestinal, é fundamental também estudar a Crononutrição.

 

Crononutrição

 

Esse conceito deriva de outro, mais amplo, chamado Cronobiologia, que estuda todo o ritmo de funcionamento do corpo de acordo com os diferentes períodos ao longo do dia. Depreendendo desse estudo a alimentação do indivíduo, e unindo assim a Nutrição à Cronobiologia, chegamos na Crononutrição.


Essa ciência estuda, portanto, a relação entre metabolismo, a alimentação, e o horário e a frequência com que essa nutrição ocorre, em associação ao relógio biológico de cada um. Nossos relógios biológicos definem os ritmos e horários regulares de nossas funções básicas comportamentais e fisiológicas, sendo que cada metabolismo funciona de forma única.


Desse modo, a Crononutrição não deve ser entendida como uma dieta, indicando delimitações de certos alimentos. A ideia é estudar a relação do relógio biológico de cada indivíduo com sua alimentação, a fim de buscar o equilíbrio nutricional adequado e melhor aproveitar a nutrição como agente promotor de saúde. A Crononutrição pode ser praticada por qualquer pessoa, seja com a idade que for, mas exige um plano nutricional individualizado, já que cada relógio biológico estabelece horários específicos de maior aproveitamento dos alimentos a cada pessoa.

 

Ciclo Circadiano e Cronodisrupção


Dentro da Crononutrição, um dos conceitos mais importantes é o de Ciclo Circadiano. Esse ciclo é determinado pelos ritmos circadianos, que regulam e preparam o corpo para nossas atividades básicas cotidianas. Por sua vez, esse ritmo é influenciado por diversas questões, como a luz do ambiente, a rotina de trabalho, a prática de atividades físicas e claro, a alimentação.


Dessa forma, é importante estabelecermos horários específicos e regulares para as refeições, para o funcionamento mais harmonioso do Ciclo Circadiano. Um grande erro, cometido por muitos, é já deixar de tomar o café da manhã, por exemplo, pois permanecer em jejum ao longo de todo período matinal prejudica a produção hormonal do corpo. Dessa mesma forma, também é indicado evitar excessos na alimentação à noite, principalmente após às 20 horas, para o melhor funcionamento do metabolismo, pois o sono também é parte essencial desse processo.

 

O corpo tem um ritmo harmônico para seguir ao longo do dia, que determina os momentos que sentimos, fome, disposição e sono, por exemplo. Seguindo o ritmo circadiano à risca, a pessoa aproveita melhor a digestão e a absorção de nutrientes, além do fornecimento de energia e equilíbrio ao corpo. Quando rompemos esse ciclo, por algum motivo como deixar de dormir uma noite, ou pular refeições, ocorre a chamada Cronodisrupção, que prejudica o metabolismo e pode causar distúrbios alimentares.


Portanto, conforme vimos brevemente, a Crononutrição orienta o indivíduo quanto ao tipo de alimentação adequada para cada momento do dia, a partir do relógio biológico de cada um. Consequentemente, o funcionamento do metabolismo varia de acordo tanto com os alimentos que consumimos quanto com o horário no qual são consumidos. E esse é apenas um dos inúmeros processos que fazem parte do estudo da nutrigenômica e da modulação intestinal.